Restabelece
o trânsito intestinal.1

Efeitos do coronavírus no intestino: Quais são?

15 de julho de 2020

A COVID-19 é uma doença causada pelo vírus SARS-CoV-2, popularmente conhecido como coronavírus. Os pacientes infectados podem ou não apresentar sintomas. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 80% dos pacientes com coronavírus se recuperam sem necessidade de tratamento hospitalar, porém, 20% dos pacientes desenvolvem doença grave, com insuficiência respiratória.1

Os impactos respiratórios como tosse e dificuldade para respirar são os mais conhecidos. Febre e fadiga também figuram entre os sintomas mais comuns. Entretanto, estudos recentes demonstraram que sintomas gastrointestinais também podem estar presentes em até 26% dos pacientes infectados por coronavírus.1-2

Quais são os efeitos do coronavírus no intestino?

Um estudo analisou 4.243 pacientes de seis países e mostrou que 17,6% dos pacientes apresentavam queixas gastrointestinais. As principais manifestações foram perda de apetite (26,8%), diarreia (12,5%), náuseas e vômitos (10,2%) e dor/desconforto abdominal (9,2%).3

Existem algumas hipóteses que explicam a presença de complicações no intestino entre os pacientes com COVID-19, como dano indireto pela resposta inflamatória sistêmica, alteração de microbiota intestinal pela infecção viral e alteração no sistema imune das mucosas (entre o pulmão e o intestino), entre outros.4

Como se proteger do coronavírus?

A transmissão da COVID-19 é feita por meio de gotículas provenientes da boca e do nariz de pessoas infectadas. Quando essas pessoas falam, espirram ou tossem, essas gotículas são eliminadas e podem infectar outras pessoas através da respiração. Além disso, uma vez que essas gotículas podem permanecer em superfícies, um indivíduo pode ser infectado após tocar em um local contaminado (maçaneta, corrimão, mesa, etc.) e levar a mão a olhos, nariz ou boca.1

Existem algumas medidas que vão te ajudar a se proteger no dia a dia, mas o ideal é evitar saídas desnecessárias de casa. Saiba quais são as instruções do Ministério da Saúde5:

1) Lave as mãos com frequência


Lave as mãos até a altura dos punhos com água e sabão sempre que chegar em casa ou sair para algum lugar. Caso não tenha acesso à água e ao sabão, higienize as mãos com álcool em gel 70%.

2) Evite tocar no seu rosto

Se precisar sair, evite encostar na região dos olhos, do nariz e da boca. Se precisar tossir ou espirrar, cubra o nariz com lenço ou com o braço, nunca com as mãos. Prefira sair sempre de máscara de pano ou descartável.

3) Mantenha distância

Se possível, mantenha uma distância mínima de 2 metros de outras pessoas. Evite contatos físicos como abraços, beijos e apertos de mão.

4) Higienize seus pertences

Ao utilizar o celular ou cartões fora de casa, lembre-se de higienizá-los.

5) Não compartilhe objetos de uso pessoal

Evite compartilhar talheres, toalhas, pratos e copos com outras pessoas.

6) Cuide da sua saúde

Boas noites de sono, alimentação saudável e prática regular de exercícios físicos ajudam a proteger seu sistema imunológico.

Compartilhe as dicas com sua família e seus amigos e se proteja do coronavírus.

 

Fontes:

1. https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/question-and-answers-hub
2. Cha MH, Regueiro M, Sandhu DS. Gastrointestinal and hepatic manifestations of COVID-19: A comprehensive review. World J Gastroenterol. 2020;26(19):2323‐2332.
3. Cheung KS, Hung IF, Chan PP, et al. Gastrointestinal Manifestations of SARS-CoV-2 Infection and Virus Load in Fecal Samples from the Hong Kong Cohort and Systematic Review and Meta-analysis. Gastroenterology 2020
4. Musa S. Hepatic and gastrointestinal involvement in coronavirus disease 2019 (COVID-19): What do we know till now?. Arab J Gastroenterol. 2020;21(1):3‐8.
5. https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca#como-se-proteger

Gostou? Compartilhe: